Blog Ourofino

Os melhores conteúdos em Saúde Animal

A capacitação da mão-de-obra é importante para obter bons resultados na IATF

Reprodução

Domingo, 28 de Fevereiro de 2016

Por Bruno Gonzalez de Freitas , Especialista técnico em reprodução animal – Departamento técnico Ourofino Saúde Animal

O desenvolvimento das biotecnologias reprodutivas, tornando-as mais simples e com maior eficiência, tem permitido a disseminação do melhoramento genético, proporcionando o aumento da produtividade das fazendas de leite e corte por todo o mundo. Nesse contexto, a inseminação artificial em tempo fixo (IATF) tem se mostrado uma importante ferramenta de manejo reprodutivo, pois acaba com a necessidade de detecção de cio, que é uma técnica que pode ser praticamente inviável nos rebanhos comerciais de cria (Baruselli et al., 2004). Além disso, a IATF possibilita o planejamento da reprodução da propriedade, com manejos e inseminações em datas pré-definidas, programação do nascimento dos bezerros e, em comparação à monta natural, reduz o período de serviço de vacas de corte paridas (Sá Filho et al., 2013).

Apesar dos extensos benefícios que a utilização da IATF pode trazer às propriedades, sua implementação e seu sucesso estão intimamente ligados à capacitação da mão de obra. A obtenção de bons índices depende de diversos pontos relacionados ao treinamento dos colaboradores, podendo ser destacados:

Correto manejo das fêmeas, a fim de evitar estresse desnecessário e acidentes durante a lida;
Inseminadores capacitados, com cursos de reciclagem antes de cada estação de monta;
Correta execução de todas as etapas dos protocolos hormonais, incluindo as etapas de descongelação do sêmen.

Com relação à lida com os animais, estudos têm demonstrado que o estresse produzido por um manejo aversivo pode alterar a resposta dos animais ao protocolo recebido, ocasionando alterações no eixo reprodutivo e até mesmo perdas embrionárias (Dobson e Smith, 2000). Tal estresse pode ser gerado desde o momento de reunião do lote no pasto, passando pelo trajeto até o curral e pelo manejo dentro do mesmo. O risco de lesões, fraturas e até mesmo morte de animais é incrivelmente aumentado quando as fêmeas são manipuladas em currais sem estrutura e por colaboradores que não são treinados em praticar o manejo racional.

No tocante à capacitação de mão de obra, estudos indicam que cursos de qualificação dos funcionários e reciclagem do conhecimento promovem aumento da taxa de prenhez quando realizados (Fernandes Jr. 2001). Revisar todo o processo de IATF periodicamente se faz necessário, almejando o aumento da habilidade e autoconfiança do inseminador. Tais achados evidenciam que o treinamento/reciclagem pode aumentar a habilidade dos colaboradores, sendo importantes para aumentar a confiança e auto-estima dos mesmos. Tais atitudes de valorização da equipe envolvida refletem positivamente nos resultados da IATF (Russi et al. 2009).

Além do correto manejo e do treinamento e capacitação da mão de obra, a adequada execução de todos os passos dos protocolos hormonais, obedecendo as doses e momentos de administração dos hormônios é de suma importância para a eficiência da IATF. Outro ponto a ser citado é a correta manipulação do sêmen desde o seu transporte, armazenamento e descongelação para a inseminação artificial. Estudo recente (Penteado et al. 2015) comparou a taxa de concepção quando da descongelação de 10 palhetas de sêmen ou apenas 3 palhetas de sêmen por vez. Os resultados obtidos pelos pesquisadores seguem na figura abaixo:


Figura 1. Taxa de concepção à IATF quando foram descongeladas 10 palhetas ou 3 palhetas de sêmen por vez (adaptado de Penteado et al. 2015).

Tais resultados indicam que uma manipulação apropriada das palhetas de sêmen, de modo que, após a descongelação, as mesmas fiquem o mínimo de tempo possível na espera para serem utilizadas pode fazer a diferença e incrementar a concepção da IATF.

Portanto, a capacitação da mão de obra é fundamental para maximizar a eficiência dos protocolos de inseminação artificial em tempo fixo. O correto manejo das fêmeas, evitando-se o estresse, bem como a capacitação e reciclagem dos colaboradores é de suma importância para que se obtenha o sucesso reprodutivo, traduzido em boa taxa de concepção. Ainda, realizar de maneira adequada todas as etapas de administração de hormônios e descongelação do sêmen para a inseminação sabidamente é necessário para que se obtenha o máximo que a IATF pode fornecer.

 

Referências:

BARUSELLI P.S., SALES J.N.S., SALA R.V., VIEIRA L.M., SÁ FILHO M.F.; History, evolution and perspectives of timed artificial insemination programs in Brazil. Anim Reprod, v.9, n.3, p.139-152, Jul./Sept. 2012

SÁ FILHO, M. F.; PENTEADO, L.; REIS, E. L.; REIS, T. A N. P. S.; GALVÃO, K. N.; BARUSELLI, P. S. Timed artificial insemination early in the breeding season improves the reproductive performance of suckled beef cows. Theriogenology, v. 79, n. 4, p. 625–632, 1 mar. 2013.

DOBSON H, SMITH RF. What is stress and how does it affect reproduction? Anim Reprod Sci, v.60-61, p.743-752, 2000.

RUSSI L.V., COSTA E SILVA E.V., ZÚCCARI C.E.S.N. Importância da capacitação de recursos humanos em programas de inseminação artificial. Rev Bras Reprod Anim, Belo Horizonte, v.33, n.1, p.20-25, jan./mar. 2009.

FERNANDES JR. JA. Inseminação artificial em gado de corte: impacto da equipe de inseminadores nos resultados obtidos. Dissertação (Mestrado em Medicina Veterinária) – Universidade Estadual Paulista, Faculdade de Ciências Agrárias e Veterinárias, Jaboticabal, 87f, 2001.

PENTEADO L., QUESADA R.R., ROSA I.M.P., GRAEFF L., MINGOTI R.D., SÁ FILHO M.F., BARUSELLI P.S. O descongelamento simultâneo de dez palhetas de sêmen reduz a taxa de concepção de vacas de corte submetidas à IATF. Anim Reprod, v.12, n.3, p.652, 2015.

 

Compartilhe esta notícia:

Comentários

denis mats

Quinta-feira, 28 de Abril de 2016

Ótimo tema Pesquisa excelente para orientação ao produtor e alguns veterinários esse padrão de descongelamento vem sendo usado pela nossa equipe por um bom tempo descongelamos de 3 a 5 palhetas e tivemos resultados ate de 62% taxa de prenhes parabéns pela pesquisa!!!!

Ourofino Saúde Animal

Segunda-feira, 02 de Maio de 2016

Olá, Denis. Ficamos satisfeitos em poder contribuir. Obrigado!

simon melo

Quarta-feira, 30 de Março de 2016

Boa tarde, sou aluno do curso de técnico em agropecuária, acho interessante o trabalho que vocês realizam e gostaria de receber mais informações sobre a IATF, grato.

Ourofino Saúde Animal

Sexta-feira, 01 de Abril de 2016

Olá Simon, obrigado pelo seu contato. Você pode acompanhar as publicações do nosso Blog na sessão de reprodução animal, onde encontrará bastante informações sobre IATF. Quando tiver alguma dúvida específica, envie para a gente que nossos especialistas poderão ajudar. Obrigado

Steiver Dornelles Assunção

Quarta-feira, 02 de Março de 2016

Sou fã de reprodução e gostaria de receber as novidades da ouro fino acho ótimo as matérias e pesquisas de vocês .

Ourofino Saúde Animal

Segunda-feira, 21 de Março de 2016

Olá Steiver, muito obrigado pelo seu contato e por acompanhar nosso trabalho. Mantenha-se sempre bem informado sobre as novidades da Ourofino Saúde Animal acompanhando a gente pelas redes sociais. Estamos no Facebook, Twitter e Instagram, além de um canal exclusivo no Youtube! Obrigado pelo seu contato.

Deixe o seu comentário

Confira outros posts

Hipocalcemia: tratamento emergencial

Na produção de leite, o desafio metabólico é um dos maiores, pois a quantidade de energia  e de substrato utilizados é muito grande, além de variável conforme o nível produtivo desejado. Por isso, durante a vida produtiva ...

Confira
Ourofino Saúde Animal

Quimioprofilaxia: a prevenção necessária

A mudança de estação traz novamente uma das maiores preocupações do pecuarista, os carrapatos. Com os parasitas, problemas correlacionados a eles tendem a aparecer de maneira mais evidente, como a Tristeza Parasitaria Bovina (TPB), também conhecida ...

Confira
Ourofino Saúde Animal

Diarreias: diferenças importantes

Na primeira fase de vida dos bovinos, sem dúvida, as diarreias são uma das enfermidades mais comuns e causadoras de muitos prejuízos para o produtor rural. Sendo uma doença multifatorial, devemos classificar diarreias sempre no plural ...

Confira
Ourofino Saúde Animal
Carregar mais posts