Blog Ourofino

Os melhores conteúdos em Saúde Animal

Suínos

Segunda-feira, 02 de Abril de 2012

No post anterior falamos dos manejos com o parto e leitões. Falaremos agora sobre o combate e prevenção da Coccidiose em leitões. A coccidiose é uma enfermidade causada pelo agente Isospora suis, é um dos maiores e mais difíceis problemas a ser controlado na maternidade. O agente resiste nos ambientes por até 15 meses em temperatura ambiente, o que dificulta o controle deste protozoário. O grande prejuízo causado pelo Isospora suis não é a mortalidade do animal e sim o atraso no crescimento (cerca de 10%) e desenvolvimento dos leitões. O leitão pode deixar de ganhar até 20g de peso por dia pela má absorção dos alimentos decorrente dos danos ao intestino. Além disso, o impacto da infecção intestinal nesta fase refletirá nas fases subsequentes, determinando um prejuízo ainda maior. Sendo assim, o uso de anticoccidianos à base de Toltrazuril é recomendado para garantir o máximo crescimento e ganho de peso dos leitões. O Isocox Pig Doser é o preventivo contra coccidiose mais recomendado para leitões, ele é o único que contém embalagem de 1L com registro para suínos na concentração de 5% do ingrediente ativo (toltrazuril), que além de garantir bom desempenho na maternidade, garante bom custo/benefício e ajuda a preservar o ambiente. É recomendável a aplicação em dose única de 1mL/leitão do Isocox Pig Doser entre o 3º e 5º dia de vida. A utilização de produtos seguros e garantidos é viável, pois auxilia os suinocultores a buscar em cada detalhe sua fonte de lucro, não permitindo que nenhum fator externo diminua sua lucratividade e qualidade do produto final, que é o suíno abatido em menor período de tempo. Vimos que todos os manejos realizados na primeira semana de vida de cada leitão e leitegada são de extrema importância, pois serão os determinantes de seu desenvolvimento saudável durante as outras fases, garantindo bom ganho de peso e vitalidade, essenciais para os melhores resultados finais. Um trabalho bem realizado e detalhado nesse período garantirá sua sobrevivência e crescimento, lembrando que a cada1 kga mais no desmame reflete em até5 kga mais no abate. Isso só será possível se disponibilizarmos ferramentas como capacitação, inovações e programas sanitários de qualidade para os colaboradores de toda a granja, a fim de garantir melhor qualidade de vida as pessoas e animais.   Por Alyne van Ham, Zootecnista do Depto Aves & Suínos, Ourofino Agronegócio

Compartilhe esta notícia:

Deixe o seu comentário

Confira outros posts

Hipocalcemia: tratamento emergencial

Na produção de leite, o desafio metabólico é um dos maiores, pois a quantidade de energia  e de substrato utilizados é muito grande, além de variável conforme o nível produtivo desejado. Por isso, durante a vida produtiva ...

Confira
Ourofino Saúde Animal

Quimioprofilaxia: a prevenção necessária

A mudança de estação traz novamente uma das maiores preocupações do pecuarista, os carrapatos. Com os parasitas, problemas correlacionados a eles tendem a aparecer de maneira mais evidente, como a Tristeza Parasitaria Bovina (TPB), também conhecida ...

Confira
Ourofino Saúde Animal

Diarreias: diferenças importantes

Na primeira fase de vida dos bovinos, sem dúvida, as diarreias são uma das enfermidades mais comuns e causadoras de muitos prejuízos para o produtor rural. Sendo uma doença multifatorial, devemos classificar diarreias sempre no plural ...

Confira
Ourofino Saúde Animal
Carregar mais posts